fbpx
Deputado Estadual . Minas Gerais
(31) 2108.7475

Deputados governistas boicotam segurança pública

As reuniões da Comissão de Segurança Pública da Assembleia tem sido boicotadas sucessivamente pelos deputados governistas Cabo Júlio (PMDB), Celise Laviola (PMDB) e Professor Neivaldo (PT). Por serem maioria, os deputados João Leite (PSDB) e Sargento Rodrigues (PDT) não tem conseguido aprovar os requerimentos originários de problemas da população que chegam à comissão. Na reunião do dia 20 de outubro o trio rejeitou 18 requerimentos, entre eles solicitações dos bairros Alípio de Melo, São Gabriel e das cidades Manga, Itamarandiba, Jacutinga e Teófilo Otoni.

 

Concursados cobram nomeação

Na reunião também participaram representantes dos aprovados no último concurso da Polícia Civil. Protestando com faixas e cartazes, eles pediram a nomeação imediata de todos. Hugo Leonardo Duarte, líder o Movimento SOS Polícia Civil, que luta pela causa dos aprovados, criticou a postura do Governo do Estado em relação às nomeações.

Sobre o concurso, os deputados Sargento Rodrigues (PDT) e João Leite (PSDB), endossaram as críticas e lamentaram a ausência de representantes do Governo do Estado na audiência que a comissão realizou sobre o tema. Cobrando um cronograma das nomeações e posses, eles questionaram a falta de notícias sobre o assunto por parte do governo.

Eles também questionaram a ausência de um membro da Polícia Militar na audiência realizada no bairro São Gabriel na última segunda-feira (19). Segundo os deputados, em suposta retaliação à comissão, o comandante da corporação, coronel Marco Antônio Badaró Bianchinni, teria proibido a presença de um tenente convidado para a reunião. Os deputados também voltaram a criticar os cortes de verba para custeio da segurança pública.

 

Manifestantes denunciam ameaças

Ao final da reunião, houve denúncias de Marcela Valente, Márcia Pelusa Castro e Cipriano Antônio de Oliveira, que integram o grupo Patriotas, de que estariam sendo vítimas de ameaças e retaliações. Segundo eles, ao participar de um protesto contra o governo, nas imediações do Palácio das Mangabeiras, teriam sido abordados por um suposto “grupo terrorista contratado”, que teria feito ameaças apontando sinalizadores acesos e gasolina. Após o ocorrido, eles teriam ficado retidos mais de quatro horas numa companhia da PM devido a uma suposta intervenção do governador Fernando Pimentel. Marcela Valente afirmou que está com medo até de sair de casa.

Os deputados João Leite (PSDB) e Sargento Rodrigues manifestaram apoio às manifestações do grupo.”É bonita essa manifestação democrática. Vocês não devem ficar incomodados”, ressaltou o deputado João Leite. Alertando que a denúncia mostra uma grave violação da democracia, o presidente da comissão solicitou os documentos, boletins de ocorrência e fotos do grupo, garantindo que serão tomadas providências. Segundo ele, as provas vão ser encaminhadas à Polícia Federal e ao Ministério Público.

No comments
Leave Your Comment